Reflexões sobre a verdade e a mentira

Quatro reflexões profundas e verdadeiras [na forma de silogismo] para você mudar seu conceito sobre a verdade e a mentira
Jorge Bezerra
reflexões sobre a verdade e a mentira

Você sabe distinguir entre a verdade e a mentira? 

Os articulados #1, #2, #3 e #4, abaixo, apresentam conclusões acerca de duas proposições comuns, na forma de silogismo aberto, sobre a temática "A Verdade e a Mentira".

Como o leitor poderá observar os significantes verdade e mentira estão contextualizados, isto é, têm significados próprios e específicos.

No caso, o termo verdade faz referência ao juízo correto a respeito do mundo objetivo, até onde e quando é possível um juízo [avaliação pessoal] correto a respeito das coisas.

Por sua vez, o termo mentira refere-se ao juízo incorreto [distorcido] a respeito do mundo objetivo, considerando, naturalmente, o padrão médio de percepção das pessoas.

A partir daí são desenvolvidos os artigos, que contêm as conclusões dos silogismos.

Leia atentamente, concorde, discorde, critique! Como desafio, faça uma nova reflexão, com as mesmas proposições e coloque na caixa de comentário no final do post. Boa diversão!

REFLEXÃO #1 — #2 #3 #4

Proposições:

• verdade » realidade objetiva dos fatos

• mentira » representação deformada dos fatos

Artigo:

A verdade não pode ser tocada. Somente apreendida.

A imagem que você faz da verdade (mundo objetivo exterior a você) é uma representação.

Quanto mais distorcida for esta representação, mais você viverá num mundo fantasioso (distante da realidade) e, por conta disto, mais erros você cometerá em suas decisões.

REFLEXÃO #2 — #1 #3 #4

Proposições:

• verdade » realidade objetiva dos fatos

• mentira » representação deformada dos fatos

Artigo:

O julgamento dos fatos pode ser influenciado por diversos fatores, que podem conduzir a uma representação distorcida em relação à verdade.

Dentre esses fatores, podemos destacar: medo, preconceitos, conceitos e forma de pensar arraigados, ideologia partidária, corporativista, religiosa, etc.

Apenas para exemplificar: Alguns companheiros do PT (os tenho em meu círculo de amizade e familiar) afirmam, e sinceramente acreditam, que o mensalão nunca existiu e que a condenação de dirigentes do PT pelo STF bem como as operações da polícia federal contituem atitudes políticas influenciada pela mídia burguesa.

Pergunta-se: até que ponto essa versão dos fatos está próxima da realidade objetiva?

REFLEXÃO #3 — #1 #2 #4

Proposições:

• verdade » realidade objetiva dos fatos

• mentira » representação deformada dos fatos

Artigo:

Há uma distância entre você e a realidade objetiva, de modo que aquilo que você apreende (pelos seus sentidos) é, e sempre será, uma imagem (representação).

Vale lembrar que a fotografia (imagem) não é o acontecimento, o mapa (representação) não é o território.

Quanto mais fiel for a sua representação dos fatos melhor você estará habilitado para se relacionar racionalmente com eles.

REFLEXÃO #4 — #1 #2 #3

Proposições:

• verdade » realidade objetiva dos fatos

• mentira » representação deformada dos fatos

Artigo:

A apreensão da verdade inclui percepção e julgamento.

A percepção (recepção das informações do mundo exterior) é operada pelos órgãos do sentido (o que se vê, ouve, toca, cheira, etc.).

O Julgamento ocorre quando você agasalha as informações em sua mente conferindo a elas algum sentido (valoração).

A partir daí a imagem (representação) é gerada.

Por isso, o processo de representação dos fatos fica sujeito a dois tipos de erro: Erro de percepção (o que você viu não é o que você viu) ou erro de julgamento ou de juízo (o valor atribuído aos fatos não esta correto).

Deixe seu comentário